sábado, 18 agosto 2018
  • Imagem da Galeria da Notícia: FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018
  • Imagem da Galeria da Notícia: FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018
  • Imagem da Galeria da Notícia: FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018
  • Imagem da Galeria da Notícia: FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018
  • Imagem da Galeria da Notícia: FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018
  • Imagem da Galeria da Notícia: FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018
  • Imagem da Galeria da Notícia: FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018
  • Imagem da Galeria da Notícia: FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018

FEF tem participação na 8ª Missão Univida 2018

 

Entre os dias 6 e 13 de julho, em Dourados/MS, professores e estudantes de diversas cidades se encontraram na 8ª Missão Univida (Associação Humanitária Universitária em Defesa da Vida), projeto este que acontece desde 2012, organizado pela Pastoral Universitária da Diocese de Jales.

Em meio a sensibilidade social e projetos de humanização, vários jovens tiveram a oportunidade de vivenciar uma semana, com indígenas da Reserva de Dourados visitando a aldeia Jaguapiru, aldeias circunvizinhas, acampamentos e assentamentos. O projeto teve como objetivo promover ações de saúde e de melhoria na qualidade de vida  para quase 16 mil índios.

Novamente a Fundação Educacional de Fernandópolis-FEF colaborou com o projeto. Foram arrecadados  entre os dias 25 de maio à 25 de junho uma grande quantidade de alimentos não perecíveis, produtos para higiene pessoal, roupas, cobertores e ainda vários brinquedos.

Durante a semana de visita a Reserva, os voluntários dos cursos de Biomedicina, Enfermagem, Engenharia Civil, Fonoaudiologia, Psicologia, Nutrição, Letras, Pedagogia e Fisioterapia, docentes e funcionários da FEF e também de outras 15 universidades – de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás – parceiras da missão, desenvolveram atendimentos multidisciplinares à população indígena, refeições, brincadeiras com as crianças e a limpeza da escola local.

O enfermeiro da instituição, Adler Roberto, conta que foi o seu segundo ano participando da Missão Univida e que as experiências são totalmente diferentes a cada ano. “Quando estamos nas aldeias podemos perceber o quão ‘rico’ somos, mais uma vez pude aprender muito com os indígenas. Durante a missão, dividimos todas as nossas emoções, os nossos sofrimentos e ainda podemos dar um pouco de qualidade de vida a eles. Sou muito grato por ter participado mais um ano”, completa.

Dentre os 270 voluntários, entre professores, funcionários e estudantes, estava o universitário Devair Fanelli, que cursa o 6º semestre de Letras na FEF. Devair relata sua enorme gratidão em ter a oportunidade de realizar trabalho voluntário na Reserva de Dourados. O aluno conta que foi seu primeiro ano na Missão Univida. “Viver a missão é recomeçar a sua própria vida. O projeto traz bons ensinamentos, como por exemplo, empatia, respeito, gratidão e valorização do que temos ao nosso redor. As experiências nas aldeias são extraordinárias, os indígenas abrem os braços e nos acolhem de uma maneira surpreendente, são pessoas simples que estão realizadas em nos ter presente, são sorrisos e abraços que cativam”, ressalta.

Outro jovem, que também estuda na instituição, Igor Pansani, que está no 8º semestre de Engenharia civil conta a emocionante e inspiradora experiência “É incrível como um sorriso pode encantar seu dia. Parece bobo pensar assim, mas quando você está em uma missão humanitária e se coloca como um ser humano cru – sem poder, sem luxo, sem posses ou bens materiais – você identifica o outro como semelhante e sente a emoção. O sorriso de um garotinho na porta de uma sala de aula é uma das memórias que mais me toca. Talvez seja o short novo do homem aranha que ele recebeu na doação; ou então por ganhar o pacote de salgadinhos. No final, antes do banho quente na casa acolhedora da vó, eu estava exausto. Porém, a saudade já me aperta e eu preciso olhar as fotos para me emocionar e sentir a vontade de fazer isso tudo mais uma vez”, conta.  

Mais Notícias

Faça seu comentário

Seu e-mail não será exibido!



Ir para o topo